Em uma sessão que promete ser longa nesta quarta-feira (20), o relator da CPI da Covid-19, senador Renan Calheiros (MDB-AL), fará a leitura do relatório final do colegiado. Após atritos entre o emedebista, membros da cúpula e do chamado G7 da comissão, algumas mudanças foram feitas no documento, como a retirada da acusação contra o presidente Jair Bolsonaro por genocídio.

Apesar da alteração, o senador por Alagoas ainda vai pedir que o presidente da República responda por ao menos uma dezena de crimes que, segundo ele, teriam sido cometidos pelo chefe do Executivo durante a pandemia, como crime contra a humanidade, charlatanismo, violação de direito social e prevaricação.

Além do presidente, seus filhos Flávio, Carlos e Eduardo Bolsonaro também estão incluídos no relatório por, segundo Renan, terem cometido suposta incitação ao crime. Ao todo, são acusadas mais de 70 pessoas, inclusive os ministros Eduardo Pazuello e Marcelo Queiroga.

Na próxima terça-feira (26), será realizada então a discussão deste parecer e a respectiva apresentação dos relatórios paralelos. Já indicaram que vão apresentar textos complementares os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Eduardo Girão (Podemos-CE) e Marcos Rogério (DEM-RO).

Confira, neste link, a íntegra do documento que será apresentado por Renan, com 1.180 páginas.

Fonte: Pleno News