O presidente da CPI da Covid, o senador Omar Aziz (PSD-AM), comentou sobre as acusações atribuídas ao presidente Jair Bolsonaro no relatório da comissão.

De acordo com o senador, Bolsonaro cometeu “crimes sérios” durante a pandemia da Covid-19, mas que genocídio não é um deles.

– O Bolsonaro fez aglomerações propositadamente, o Bolsonaro pregou a imunização de rebanho, pregou medicamento não comprovado, foi charlatão prescrevendo medicamento sem eficácia… Então, ele tem crimes sérios, só que o genocídio é muito mais sério que isso tudo. Eu preciso ser convencido de que houve [genocídio]. Até agora eu não fui – disse em entrevista ao jornal O Globo.

Na proposta de relatório final da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) sugeria indiciar Bolsonaro por 24 crimes, como homicídio qualificado, prevaricação, genocídio de indígenas e crime contra a humanidade.

No relatório final divulgado nesta quarta-feira (20), não consta mais a acusação contra o presidente por genocídio. Mudanças foram fetas após atritos entre os senadores do chamado G7 da comissão.

Outra mudança foi a retirada de Silas Malafaia da lista dos indiciados. De acordo com Aziz, ele foi um dos que votaram para a saída do pastor da relação final.

O texto final da CPI da Covid deverá ser votado na próxima terça-feira (26).

Fonte: Pleno News