Nesta terça-feira (19), senadores da CPI da Covid aliados do governo federal criticaram os trabalhos da comissão e afirmaram que a comissão sempre teve o objetivo de criar uma narrativa contra o governo federal.

As críticas partiram dos senadores Jorginho Mello (PL-SC), Eduardo Girão (Podemos-CE), Marcos Rogério (DEM-RO) e Luiz Carlos Heinze (PP-RS). Para Jorginho Mello (PL-SC), a CPI não se preocupou em ‘seguir o caminho do dinheiro’ ao ignorar a atuação dos estados na pandemia.

– Todos nós tentamos cumprir a nossa missão na CPI com independência, com coragem e com altivez (…) Dinheiro público, ninguém quis procurar o caminho do dinheiro. Ninguém. Porque dinheiro público é dinheiro público, gente (…) E na CPI foi aprovado que nós tínhamos que investigar estados e municípios. Foi aprovado, está junto. Não é só o governo federal. Mas a preocupação da CPI sempre foi criar uma narrativa para espetar, para prejudicar, para embaçar o governo federal – apontou.

O senador também criticou a realização de uma sessão, nesta segunda-feira (19), para ouvir familiares de vítimas da Covid-19. Para o grupo, os senadores de oposição levaram militantes ao Senado.

– Ontem, por exemplo. Mexer com a dor das pessoas. Todos nós nos compadecemos. Mas não pode trazer militante político para fazer discurso, como veio ontem gente do PT. Aquela senhora Brandão, o marido dela é um militante. Fora Bolsonaro na rede social. Fotografia com o Haddad. Não venha usar a dor das pessoas para fazer demagogia barata. O 600 mil brasileiros. O Renan Calheiros é um homem muito caridoso. O Brasil conhece ele. Tá muito preocupado com a vida das pessoas. Tá preocupado a fazer palanque (…) a fazer narrativa para prejudicar o governo – destacou.

Fonte: Pleno News