O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), pretende pedir indiciamento de no mínimo 50 pessoas por crimes de pandemia, infração de medida sanitária, emprego irregular de dinheiro público, falsificação de documentos, prevaricação, crimes contra a humanidade e crimes de responsabilidade.

Uma lista preliminar obtida pelo Antagonista, contém 53 nomes, mas ainda poderá sofrer mudanças. Renan pretende fazer uma exposição mais detalhada dos crimes e participação de todos ao longo da pandemia.

O primeiro nome da lista, o presidente Jair Bolsonaro, é alvo de pelo menos 11 acusações, entre elas homicídio qualificado. Nomes como Eduardo Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Allan do Santos também aparecem na vasta relação.

Veja a lista completa:

1 – Presidente Jair Bolsonaro;

2- Senador Flávio Bolsonaro;

3 – Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP);

4 – Vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ);

5 – Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga;

6 – Ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni;

7 – Ministro da Defesa (e ex-ministro da Casa Civil), Walter Braga Netto;

8 – Líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR);

9 – Deputado federal Osmar Terra (MDB-RS);

10 – Deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ);

11- Deputada federal Bia Kicis (PSL-DF);

12 – Deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP);

13 – Deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ);

14 – Deputado federal General Girão (PSL-RN);

15 – Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello;

16 – Ex-ministro de Relações Exteriores Ernesto Araújo;

17 – Ex-ministro de Comunicações Fábio Wanjgarten;

18 – Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho no Ministério da Saúde;

19 – Regina Célia de Oliveira, fiscal do contrato da Covaxin;

20 – Ex-secretário executivo da Saúde Elcio Franco;

21 – Ex-diretor de logística do Ministério da Saúde Roberto Dias;

22 – Ex-diretor da Anvisa José Ricardo Santana;

23 – Marcelo Augusto Xavier da Silva, presidente da Funai;

24 – Robson Santos da Silva, secretário especial de saúde indígena;

25 – Arthur Weintraub, ex-assessor especial da Presidência;

26 – Médica Nise Yamaguchi;

27 – Virologista Paolo Zanoto;

28 – Tenente-médico da Marinha Luciano Dias Azevedo;

29 – Empresário Luciano Hang;

30 – Empresário Carlos Wizard;

31 – Secretário de ciência, tecnologia, inovação e insumos estratégicos do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto;

32 – Francisco Maximiano, dono da Precisa Medicamentos;

33 – Emanuela Medrades, diretora da Precisa Medicamentos;

34 – Coronel Marcelo Bento Pires, ex-coordenador de logística do Ministério da Saúde;

35 – Danilo Trento, diretor de relações institucionais da Precisa Medicamentos;

36 – Marcos Tolentino, dono da FIB Bank;

37 – Raimundo Brasil, sócio da VTCLog;

38 – Andrea Lima, CEO da VTCLog;

39 – Cabo da PM Luiz Paulo Dominguetti, representante da Davati;

40 – Cristiano Carvalho, representante da Davati;

41 – Coronel Helcio Bruno Almeida, proprietário do Instituto Força Brasil;

42 – Pedro Batista Júnior, diretor executivo da Prevent Senior;

43 – Marcellus Campelo, ex-secretário de Saúde do Amazonas;

44 – Túlio da Silveira, advogado da Precisa Medicamentos;

45 – Emanuel Catori, diretor-presidente da Belcher Farmacêutica;

46 – José Alves Filho, representante da farmacêutica Vitamedic;

47 – Otávio Fakhoury, vice-presidente do Instituto Força Brasil;

48 – Allan dos Santos;

49 – Paulo Enéas;

50 – Carlos Adriano Ferraz;

51 – Roberto Goidanich, ex-presidente da Fundação Alexandre Gusmão;

52 – Marconny Faria, lobista ligado a Jair Renan Bolsonaro;

53 – Mauro Luiz de Britto Ribeiro, presidente do Conselho Federal de Medicina.

Fonte: Pleno News