Nesta quinta-feira (23), a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro rejeitou um projeto de lei que tinha por objetivo criar o “Dia Municipal da Visibilidade Lésbica”. A proposta havia sido apresentada pela vereadora Monica Benício (Psol), viúva de Marielle Franco.

Em sua proposta, Monica Benício apontou que a medida teria por objetivo “conferir visibilidade e reconhecimento do município às mulheres lésbicas”.

A decisão da Câmara de rejeitar o PL 8/2021 foi celebrada pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos). Para ele, a medida seria utilizada para “aliciar crianças nas salas de aula“.

Parabenizo o vereador Alexandre Isquierdo por liderar rejeição, com ajuda dos demais parlamentares, de projeto do PSOL, braço do PT, que criaria o dia da visibilidade lésbica. Mais uma ferramenta política que certamente seria utilizada para para aliciar crianças nas salas de aula – escreveu.

Fonte: Pleno News