O nome da atriz pornô libanesa Mia Khalifa voltou repercutir em sessão da CPI da Covid-19. Nesta quarta-feira (22), o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede) sugeriu, em tom de ironia, convocar a atriz para depor no colegiado, depois de o senador Luis Carlos Heinze (Progressistas) mencioná-la indiretamente.

Durante depoimento do diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, Heinze trouxe à baila dados de uma pesquisa que teria sido encomendada pela empresa de uma atriz pornô.

– Mia Khalifa de novo? Vou ter que chamar a atriz para confrontar o senhor – ironizou Randolfe.

Heinze pediu “licença” para continuar a falar, mas Randolfe seguiu a alfinetá-lo.

– Não, o senhor está insistindo em convocar a Mia Khalifa para CPI – disse.

Minutos depois, o presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD) também debochou do caso: “Ressuscitaram até a Mia Khalifa de novo aqui…”

Embora a relação entre a atriz libanesa e a CPI brasileira pareça completamente aleatória, o nome de Khalifa já reverberou na comissão anteriormente.

A primeira menção a ela no colegiado ocorreu em sessão de 25 de maio, quando Heinze declarou que uma pesquisa publicada pela revista Lancet, que comprovava a ineficácia da cloroquina como tratamento para a Covid-19, foi retratada depois que se descobriu que teria sido financiada por uma empresa de uma atriz pornô, posteriormente apontada pela web como Mia Khalifa.

O caso chegou ao conhecimento da atriz, que achou graça na situação e compartilhou uma montagem em que aparece como convidada da CPI no Senado. Na legenda Khalifa referiu-se a si mesma como “a woman of the people” (uma mulher do povo, em português). Em outra ocasião, ela disse que os brasileiros estão em crise e ela estava a caminho da CPI para ajudá-los.

Fonte: Pleno News