Para o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Jair Bolsonaro não deve promover um “autogolpe”. O comentário foi feito após Mendes falar sobre as manifestações pelo Dia da Independência, em 7 de setembro.

Em entrevista ao site Opera Mundi, publicada nesta segunda-feira (13), o ministro disse não ver a necessidade de o Supremo tomar nenhum tipo de medida contra Bolsonaro. Para Gilmar Mendes, a Corte deve permanecer atenta e “cumprindo” seu papel.

– Mas não acredito que haverá um autogolpe. A questão é que ainda não saímos da pandemia. Vemos a Europa e os EUA adotando medidas de recuperação, e nós discutindo a suspeita de fraude numa eleição em que o sujeito que reclama ganhou a eleição, e agora discutindo a possibilidade de golpe, de se fechar o Supremo, o Congresso, as Assembleias Legislativas […] Vamos trazer os adultos para a sala e tratar dos temas sérios – apontou.

Durante a entrevista, o ministro também defendeu uma mudança no sistema de governo brasileiro. Para Gilmar Mendes, a mudança poderia ser feita durante as eleições ou por meio de um plebiscito.

– Acho que deveríamos ir para um sistema de semipresidencialismo, com o presidente eleito diretamente, mas a atividade de governo seria feita por alguém eleito pelo Congresso, numa espécie de parlamentarismo – destacou.

Ministro Gilmar Mendes, do STF, e o presidente Jair Bolsonaro Foto: Arte/Pleno.News

Fonte: Pleno News