Pazuello justifica ao Exército presença em ato: “Honra pessoal”

O general Eduardo Pazuello apresentou ao Comando do Exército, nesta quinta-feira (27), a justificativa para sua presença na manifestação apoio ao presidente Jair Bolsonaro, que aconteceu no último domingo (23), no Rio de Janeiro. Após o ato político, o Exército abriu um procedimento administrativo para apurar a conduta do general da ativa – que violou normas da Força.

Segundo a colunista Bela Megale, do jornal O Globo, Pazuello se defendeu afirmando que não se trata de um ato político-partidário e que, sendo este o caso, não há irregularidade na participação do general. Pazuello argumenta que Bolsonaro não pertence a nenhum partido e que não há campanha eleitoral em vigência no país.

Ainda de acordo com o general, ele esteve na manifestação a convite do presidente Bolsonaro e, já no evento, foi surpreendido com um convite para subir ao carro de som de onde Bolsonaro discursou para milhares de apoiadores.

O ex-ministro também recorreu ao argumento que trata da defesa da honra pessoal. Esta tese consta no artigo 6 do regimento do Exército.

“I – honra pessoal: sentimento de dignidade própria, como o apreço e o respeito de que é objeto ou se torna merecedor o militar, perante seus superiores, pares e subordinados”.

Fonte: Pleno News