Aprovação de Lula sofre queda entre deputados, indica pesquisa

Política Nacional

Uma pesquisa recente realizada pelo instituto Genial/Quaest revelou a percepção dos deputados federais em relação ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Os resultados apontam para uma avaliação crítica e divisões significativas.

  • Direção do Brasil:
    • 52% dos parlamentares acreditam que o Brasil está indo na direção errada.
    • 38% consideram que o país está na direção certa.
    • 10% não souberam ou não responderam.
  • Avaliação Geral do Governo Lula:
    • 42% dos deputados acham que o presidente está fazendo um mandato ruim.
    • 32% julgam positivamente o trabalho feito pelo governo.
    • 26% acreditam que a gestão do petista é regular.
    • 1% não sabe ou não respondeu.
  • Capacidade de Aprovação da Agenda de Governo:
    • 47% dos parlamentares acreditam que o Executivo conseguirá aprovar suas pautas no Congresso.
    • 47% observam que isso não será possível.
    • 6% não sabem ou não responderam.
  • Relação com o Congresso:
    • 43% avaliam a relação entre o governo Lula e o Congresso como negativa.
    • 22% a consideram positiva.
    • 33% veem a articulação entre os dois Poderes como regular.
  • Atenção aos Parlamentares:
    • 64% dos deputados acreditam que o governo Lula dá menos atenção do que deveria aos parlamentares.
    • 4% acham que a gestão petista dá mais atenção do que o necessário.
    • 27% consideram que ele faz o tratamento devido ao Legislativo.
  • Interlocutores Efetivos do Governo:
    • O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, foi o mais lembrado, com 12% das respostas espontâneas dos parlamentares.
    • O ministro das Cidades, Jader Filho, foi citado por 4%.
    • O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, foi lembrado por apenas 1% dos deputados.

Essa pesquisa reflete a complexidade das relações políticas e a diversidade de opiniões entre os parlamentares, destacando os desafios enfrentados pelo governo Lula em sua terceira gestão.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *