A médica Natália Schin, 29 anos, acusou seu ex-companheiro, Luís Cláudio Lula da Silva, 39 anos, filho caçula do presidente Lula (PT), de agressões. Segundo ela, o relacionamento durou dois anos e foram vários episódios de violência doméstica que foram se intensificando.

Um boletim de ocorrência foi aberto nesta terça-feira (2) por meio da internet na Delegacia da Mulher de São Paulo. A vítima prestou depoimento por videoconferência, para confirmar sua identidade.

Na denúncia, Schin afirma que as “agressões são de natureza física, verbal, psicológica e moral”. Ela conta também que em janeiro deste ano, em uma das brigas no final do mês, ela foi atingida por “uma cotovelada na barriga”. O motivo da briga foi Luís Cláudio ter se recusado a entregar o celular da companheira. As informações são do Metrópoles.

A médica conta que por causa das violências sofridas, ela precisou ficar afastada do trabalho e chegou a ser hospitalizada por ter crises de ansiedade. Ela também acusa o filho do presidente de fazer ameaças e ofensas constantes, sendo chamada de “louca”, “vagabunda” e “doente mental”.

VÍTIMA PEDE RESPEITO AO PRESIDENTE
Com a repercussão do caso nas redes sociais, a médica pediu respeito à família Lula. Segundo ela, o presidente não pode ser culpado pelas atitudes do filho que tem quase 40 anos de idade.

– Por favor, deixem o Lula e a família dele em paz. Ele não tem nada a vê (sic) com isso. Parem de responsabilizar os familiares por maldades de um homem adulto de 40 anos. São pessoas totalmente diferentes. Respeitem a família Lula – pediu Schin.

*Pleno News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site! ACEPTAR
Aviso de cookies