O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, enviou uma carta ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) convidando-o para visitar seu país e ver de perto os rastros de destruição deixados pelos terroristas do Hamas no Sul do país, após o ataque de 7 de outubro.

No documento, ao qual o site Metrópoles teve acesso, o político israelense também critica o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que é considerado “persona non grata” em seu país por comparar a defesa de Israel com o Holocausto.

– Ainda ontem, você demonstrou sua solidariedade ao povo e ao Estado de Israel, agitando orgulhosamente a bandeira israelense num comício em São Paulo. Esta foi uma rejeição clara e moralmente sólida às acusações ultrajantes de seu sucessor contra as operações das FDI (Forças de Defesa de Israel) em Gaza.

O convite foi enviado no dia 26 de fevereiro, um dia após o ato político de Jair Bolsonaro na Avenida Paulista. Muitas bandeiras de Israel foram erguidas pelos manifestantes e Bolsonaro fez questão de mostrar que continua do lado do povo israelense.

A amizade do ex-presidente brasileiro com o governo israelense foi lembrada também por Netanyahu, com que Bolsonaro sempre teve bom relacionamento durante os quatro anos em que esteve na Presidência.

– “Sua amizade é ainda mais importante em tempos de crise e de guerra e, portanto, convido você e sua família a visitar Israel para demonstrar sua solidariedade ao povo de Israel – diz outra parte do documento.

*Pleno News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site! ACEPTAR
Aviso de cookies