Entidade judaica acusa Dino de usar Bíblia para demonizar Israel

A crítica da Conib à publicação do ministro da Justiça, Flávio Dino, é compreensível. A comparação da retirada dos brasileiros de Gaza com a fuga de José e Maria para o Egito é, de fato, uma referência à narrativa bíblica da perseguição de Herodes ao menino Jesus. Essa narrativa foi usada ao longo dos séculos para justificar a perseguição aos judeus, e sua utilização por um ministro do governo brasileiro é preocupante.

A Conib também está correta ao apontar que a publicação de Dino estimula o antissemitismo e o discurso de ódio. Os comentários que a postagem recebeu nas redes sociais são um exemplo claro disso. Vários usuários fizeram referências a antissemitismos clássicos, como a comparação dos judeus a Herodes.

É importante que o governo brasileiro se manifeste sobre essa questão. A Conib já pediu ao governo que se manifeste, e é importante que essa manifestação seja clara e contundente. O governo brasileiro deve condenar o antissemitismo e o discurso de ódio, e deve reiterar seu compromisso com a defesa dos direitos humanos e da liberdade religiosa.

É importante lembrar que o conflito entre Israel e o Hamas é um conflito complexo, com raízes históricas e políticas profundas. É importante que o governo brasileiro evite fazer declarações que possam alimentar o antissemitismo ou o discurso de ódio.

Bruno Rigacci

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site! ACEPTAR
Aviso de cookies