Ministra do Planejamento critica possível recondução de Augusto Aras ao cargo de PGR

Em meio a intensos debates políticos sobre a recondução do procurador-geral da República, Augusto Aras, ao cargo, a ministra do Planejamento, Simone Tebet, fez uma declaração contundente ao afirmar que tal decisão seria um “desastre”. A posição de Tebet vai de encontro ao posicionamento de alguns petistas que defendem a permanência de Aras como PGR. Atualmente, o mandato de Augusto Aras está prestes a se encerrar em setembro, e a responsabilidade de indicar um nome para o posto cabe ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, membro do Partido dos Trabalhadores (PT).

Em uma entrevista à jornalista Miriam Leitão na GloboNews, na quarta-feira (26), Simone Tebet manifestou sua decepção com a defesa de aliados ao PT pela recondução de Aras ao cargo de procurador-geral da República. A ministra expressou claramente suas preocupações e descontentamento com a possibilidade, enfatizando que consideraria um “desastre” caso essa recondução ocorresse.

Tebet revelou que votou a favor da indicação de Aras em um primeiro momento, mas, posteriormente, votou contra sua recondução. Ela justificou sua mudança de posição ao observar que Aras estava conduzindo o Ministério Público, uma instituição de fiscalização e controle da máquina pública, de forma submissa e politicamente alinhada ao presidente em exercício.

Augusto Aras foi indicado ao cargo de procurador-geral da República duas vezes pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. Em sua primeira indicação, em 2019, Aras foi aprovado pelo Senado Federal com 68 votos a favor e 10 contrários. Em sua segunda tentativa, obteve 55 votos favoráveis, 10 contrários e uma abstenção.

Nos últimos tempos, Aras tem enfrentado críticas cada vez mais contundentes de setores que não concordam com sua recondução ao cargo. Apesar disso, ele tem recebido apoio de membros do PT, como o ex-governador da Bahia e atual ministro da Casa Civil, Rui Costa, e o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA).

Na busca por manter-se no cargo, Augusto Aras tem recorrido a uma série de vídeos intitulada “Principais resultados da gestão de Augusto Aras à frente do MPF”, que vem sendo veiculada semanalmente em seu canal no YouTube desde o início de junho.

Agora, resta aguardar o desenrolar dos acontecimentos e as decisões a serem tomadas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação à importante posição de procurador-geral da República, bem como observar como essa escolha poderá afetar o cenário político e institucional do país nos próximos anos.

Bruno Rigacci

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site! ACEPTAR
Aviso de cookies