O senador Renan Calheiros (MDB) engrossou, nesta terça-feira (2), o coro de congressistas que declaram abertamente serem favoráveis ao impeachment do procurador-geral da República, Augusto Aras.

Na visão do ex-presidente do Congresso Nacional, a atuação do Ministério Público durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) era mais intensa e atuante do que o comando do órgão na atual gestão de Jair Bolsonaro (PL).

– No MP, contra mim e Lula, todo dia era segunda: abria tudo. Já contra o criminoso Bolsonaro todo dia é domingo ou feriado: não abre nada. São 104 investigações na gaveta e agora atacam o STF. Impeachment do PGR e o fim desse poder monárquico – declarou em seu twitter.

Calheiros sustenta seu argumento nos engavetamentos autorizados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o chefe do Executivo. O incômodo dele deu-se, principalmente, após pedidos de arquivamentos da vice-procuradora-geral, Lindôra Araújo, a respeito das denúncias contra o candidato à reeleição feitas na CPI da Covid.

A manifestação do político alagoano segue a linha da atuação do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que publicou, na última semana, que Augusto Aras envergonhava o MP.

– Se existe alguém que abusa e envergonha o Ministério Público, esse alguém é Augusto Aras. O senhor Aras já passou de todos os limites, chegou a hora do seu impeachment! Levaremos a cabo isso no Senado Federal – atacou.

A reação do líder da oposição no Senado deu-se após Aras aparecer em vídeo que relata supostos abusos de alguns parlamentares contra o sistema jurídico “por interesses políticos”. Randolfe não gostou e rebateu nas redes sociais.

Fonte: Pleno News