O nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não consta mais na lista de pessoas que promovem propaganda pró-Rússia durante a guerra. A lista foi elaborada pelo Centro de Combate à Desinformação do governo da Ucrânia, com 78 pessoas, sendo Lula o único brasileiro.

O governo ucraniano ainda não informou o que motivou a exclusão. De acordo com pesquisa do UOL na plataforma WaybackMachine, que funciona como uma espécie de arquivo de sites na internet, o petista já não constava na lista às 18h13 desta terça-feira (26).

Lula entrou na mira de Volodymyr Zelensky sob duas acusações. A primeira é a de que o petista afirmou que a Rússia deveria liderar a nova ordem mundial. Não foi encontrado nenhum registro de que Lula de fato tenha dado tal declaração.

A segunda acusação é a de que Lula afirmou que Zelensky é tão culpado pela guerra quanto Vladimir Putin, presidente da Rússia. Quanto a esta já houve comprovação. Lula firmou em entrevista à revista norte-americana Time em 4 de maio deste ano.

– Fico vendo o presidente da Ucrânia na televisão como se estivesse festejando, sendo aplaudido em pé por todos os parlamentos, sabe? Esse cara é tão responsável quanto o Putin – declarou o petista, à época.

O governo ucraniano ainda não se pronunciou sobre os motivos da retirada de Lula da lista, que conta com nomes de políticos, jornalistas, cientistas políticos, analistas, entre outros.

Fonte: Pleno News