O senador Randolfe Rodrigues afirmou, nesta quarta-feira (29), que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), estuda juntar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Ministério da Educação (MEC) com a CPI das obras paradas nos governos do PT. Com isso, a CPI iria abordar os dois assuntos.

Randolfe entregou nesta terça (28) o requerimento de criação da CPI do MEC com 31 assinaturas, quatro a mais que o necessário. A ideia é investigar as recentes suspeitas de corrupção na Pasta, que ocasionaram a prisão do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro. Já CPI das obras paradas tem por base um relatório do governo federal que aponta a existência mais de 2,6 mil obras inacabadas.

Ao lado do senador Jean Paul Prates (PT-RN), Randolfe teve um encontro com Pacheco nesta quarta. O presidente do Senado afirmou que pretende decidir até a próxima segunda (4).

– Compreendemos que a prerrogativa desta análise cabe à presidência do Senado, convencionamos com o presidente que a presidência fará essa análise e proferirá ao colégio de líderes a decisão sobre a instalação da CPI requisitada pela oposição, que ao nosso entender é a real e verdadeiro, e das outras CPIs que estão sendo propostas, no nosso entender, para tumultuar a CPI verdadeira – apontou Randolfe.

O senador da oposição também se mostrou contrário à união das duas CPIs.

– Entendemos que os objetos das CPIs são distintos. Eu tenho um mau presságio nessa ideia de unir às outras. Conheço a retórica, narrativa bolsonarista, que pressupõe a máxima de contar mentiras algumas vezes até que vire verdade – destacou.

Fonte: Pleno News