O governador da Flórida, Ron DeSantis, assinou nesta segunda-feira (9) uma lei para que os estudantes do estado recebam orientação sobre “os perigos e maldades do comunismo”. A nova legislação ainda determina que seja dedicado um dia para recordar as vítimas da ideologia.

A lei lei HB 395 foi assinada na Freedom Tower, um edifício emblemático de Miami onde foram recebidos os primeiros exilados de Cuba no início dos anos 60. Na ocasião, o republicano estava rodeado de funcionários do governo e líderes da comunidade e do exílio cubanos.

Segundo essa lei aprovada pelo Congresso da Flórida, dominado pelos republicanos, as mais de 100 milhões de pessoas em todo o mundo que são “vítimas do comunismo” serão lembradas em 7 de novembro.

Cuba, Nicarágua, Venezuela, Ucrânia e China foram os países mais mencionados no ato liderado por DeSantis, que busca ser reeleito para um segundo mandato nas eleições de novembro deste ano.

Rosa María Payá, filha do líder opositor cubano Oswaldo Payá, agradeceu a DeSantis por essa iniciativa. Oswaldo morreu em 2012 juntamente com Harold Cepero, em acidente de trânsito que, de acordo com as denúncias da sua família a organizações internacionais, foi provocado por agentes de segurança cubanos.

Payá, que falou na palestra Honrando as Vítimas do Comunismo, mencionou no seu discurso o seu pai e os mais de mil prisioneiros políticos que disse estarem atualmente detidos em Cuba. Ela acusou o regime cubano de ter causado “o colapso das democracias da Venezuela e da Nicarágua”.

A vice-governadora da Flórida, Jeanette Núñez, de origem cubana, afirmou que, se há um lugar no mundo onde a importância da liberdade é conhecida, é Miami, por causa dos muitos exilados que recebeu.

Em espanhol, Núñez disse que “cubanos, nicaraguenses e venezuelanos estão unidos na luta pela liberdade”. Ela pontuou que essa legislação é “importante” porque “não vai apenas educar os nossos filhos, mas também os filhos dos nossos filhos”.

Quem também discursou brevemente foi o novo comissário de Educação da Flórida, Manny Diaz, também de origem cubana. Ele deverá supervisionar o cumprimento da lei: que os estudantes do ensino secundário receberão pelo menos 45 minutos de instrução por ano sobre o comunismo a partir do ano letivo de 2023-2024.

Os alunos serão ensinados como o sofrimento de regimes comunistas é causado “através da supressão da liberdade de expressão, da pobreza, da fome, da emigração e da violência sistemática”.

*EFE

Fonte: Pleno News