Pré-candidato à Presidência pelo PSDB, João Doria admitiu nesta quinta-feira (28) a possibilidade de ser candidato a vice-presidente nas eleições deste ano. Ao ser indagado, durante uma sabatina promovida pela Folha de São Paulo e pelo UOL, sobre se comporia uma chapa sem ser candidato ao Planalto, o tucano afirmou que não excluía “nenhuma alternativa”.

– Nós temos que ter o bom entendimento que a prioridade é o Brasil, não somos nós. Então, eu não me priorizo nem excluo nenhuma alternativa. Nós não podemos agir dessa maneira – disse ele

Doria negou que suas falas fossem uma crítica a senadora Simone Tebet (MDB), que faz parte da união das siglas de centro que pretendem lançar uma candidatura única às eleições deste ano. Tebet já afirmou que, se não for cabeça de chapa, não aceitaria ser vice.

Com as dificuldades do chamado “centro democrático” para lançar uma candidatura única ao Planalto, Doria admitiu que as tratativas podem não dar certo. Integram as conversas para o lançamento desta candidatura única o União Brasil, MDB, Cidadania e PSDB. Luciano Bivar, do União Brasil, já sinalizou que pode desistir se não houver a definição de um nome em breve.

– É natural nesse processo que haja situações convergentes, outras não convergentes, mas o importante é que o diálogo continue. O diálogo de todos é no melhor sentido, de defender e proteger o Brasil e encontrar uma alternativa que possa romper essa polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente Jair Bolsonaro – afirmou Doria.

Ao comentar sobre conversas que tem tido com Bivar, Doria admitiu que o presidente da União Brasil pretende dar um parecer sobre a união entre as legendas na próxima quarta-feira (4), e que a tendência do agora aliado é caminhar sozinho no processo eleitoral.

– Mas nada nos impedirá de mais adiante estarmos juntos novamente. Não há ruptura, não há briga, não há conflito entre nós – completou.

*AE

Fonte: Pleno News