A pesquisa Quaest/Genial divulgada nesta quinta-feira (7) indicou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) avançou nas intenções de votos. Isso aconteceu por que uma parcela do eleitorado que antes estava direcionada para a chamada terceira via, nome atribuído ao grupo de candidatos fora do cenário entre ele e o ex-presidente Lula (PT), redirecionou suas preferências.

Nos números apurados no mês de abril, a escolha por outros candidatos de fora da dupla Bolsonaro e Lula despencou sete pontos percentuais (de 19% para 12%) na comparação com a análise realizada em março. A queda, provavelmente, poderia ser explicada com a saída do ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) da disputa.

Na distribuição dos sete pontos percentuais deixados para trás, por aquela que pode ser considerada a terceira via, cinco deles foram para o presidente Jair Bolsonaro, que saltou de 26% para 31%. Os outros dois pontos foram distribuídos da seguinte forma: um ponto para Lula (45% em abril contra 44% em março) e um para os indecisos (6% em abril contra 5% em março).

Bolsonaro subiu 5 pontos na comparação com a última pesquisa Foto: Reprodução/Quaest Pesquisa e Consultoria

Um outro aspecto avaliado pela pesquisa, e que ratificou a queda da terceira via com a migração dos votos para o atual presidente, foi a respeito de qual seria a preferência do eleitor para 2022 entre aqueles que optaram por Bolsonaro, ou Fernando Haddad (PT), no segundo turno do pleito de 2018.

Em março, o percentual de eleitores que votou no atual presidente há quatro anos, e que estavam optando pela chamada terceira via – nomeada pela pesquisa como “Nem Lula, nem Bolsonaro” – era de 23%. Já em abril, esse número caiu para 15%.

Por outro lado, os eleitores que optaram por Bolsonaro em 2018 e que repetiriam o voto em 2022 aumentaram de 54% para 63%.

Repetição de votos em Bolsonaro aumentou na comparação com março Foto: Reprodução/Quaest Pesquisa e Consultoria

A pesquisa Quaest/Genial foi feita a partir de 2 mil entrevistas pessoais com eleitores a partir de 16 anos, entre os dias 1° e 3 de abril. A margem de erro é de dois pontos percentuais. O nível de confiança é de 95%. A análise foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo BR-00372/2022.

Fonte: Pleno News