A Central Única dos Trabalhadores (CUT) decidiu lançar um curso de “brigadas antifake news” para combater supostas desinformações no ambiente digital e divulgar conteúdos da entidade. Segundo o presidente nacional da organização, Sérgio Nobre, os voluntários aprenderão técnicas para “resgatar as informações factuais nas redes sociais”.

– Os brigadistas terão a tarefa de reportar a real informação nas redes sociais. Essas brigadas também são um espaço de formação, portanto estratégicas para que a CUT dê um salto organizacional e representativo – disse ele, em entrevista ao jornal francês L’Humanité.

O curso espera reunir cerca de 100 mil “brigadistas” e contar com um “exército digital” até o fim deste ano.

– A tarefa das brigadas será longa, mas a prova de fogo do nosso projeto será derrotar o bolsonarismo em 2022, e mais uma vez, eleger um trabalhador como presidente do Brasil – diz o vídeo de apresentação do projeto, divulgado pelo site da organização.

Ainda na entrevista ao periódico francês, Sérgio Nobre disparou críticas ao presidente Jair Bolsonaro e seus aliados, acusando-os de envolvimento com milícias digitais e robôs.

– Nem Bolsonaro, nem os demais candidatos de direita vão querer discutir projetos e ideias para tirar o Brasil da crise em que se encontra. Vão travar uma guerra de fake news nas redes sociais, usar suas milícias digitais e seu exército de robôs para atacar as agendas e projetos defendidos pela classe trabalhadora – alegou.

Fonte: Pleno News