O governo de São Paulo destina à prevenção de enchentes, desde 2011, verbas inferiores às aprovadas pela Assembleia Legislativa do Estado (Alesp). Apesar da negligência, devido às chuvas que atingem a região, o governador João Doria decidiu pedir R$ 470 milhões ao governo federal para combater as enchentes.

De acordo com o levantamento feito pela GloboNews, o valor usado pelo ex-governador Geraldo Alckmin em 2015 e 2016 sequer atingiu metade do total aprovado pela Alesp para a área. O feito foi repetido por seu sucessor, João Doria, em 2019.

2021 foi o ano em que o governo do estado utilizou a maior verba dos últimos 11 anos para combater as enchentes, entretanto, os R$ 958,1 milhões utilizados ainda ficaram abaixo do R$1,1 bilhão que havia sido aprovado.

A pesquisa considerou dados da Execução Orçamentária, disponibilizada pela Secretaria Estadual da Fazenda e Planejamento. As verbas utilizadas nos anos anteriores à 2011 também podem ter sido menores que as aprovadas, mas os dados não são disponibilizados pela Secretaria.

Com as recentes chuvas, neste final de semana rios transbordaram no estado, provocando alagamentos e deixando 24 motos, além de 600 famílias ficaram desabrigadas.

Por meio de nota, o governo de São Paulo disse que só pode responder pelas medidas tomadas em sua gestão e afirmou que “a análise exclusiva sobre a rubrica ‘Infraestrutura Hídrica e combate às enchentes’ não reflete o investimento total feito para diminuir o impacto das chuvas”.

O governo informou ao G1 que “aumentou em 33% a execução orçamentária para combate às enchentes em relação a 2019” e que “há outras fontes de investimento como o repasse de recursos para compra de equipamentos feitos pela Defesa Civil do Estado”.

Já a assessoria de Geraldo Alckmin disse que a verba destinada ao combate às enchentes em 2015 e 2016 foi utilizada para amenizar os impactos da crise hídrica que atingiu a região metropolitana do estado.

Fonte: Pleno News