Um dia após a tragédia no Lago de Furnas, o prefeito de Capitólio (MG), Cristiano Geraldo da Silva (Progressista), anunciou neste domingo (9) a suspensão do turismo aquático na cidade. O gestor municipal afirmou que as entradas dos cânions e o local conhecido como Cascatinha estão fechados até que a Defesa Civil emita um parecer técnico sobre as condições do local.

Em entrevista à TV Integração, nesta manhã, Cristiano relembrou do incidente em que duas pessoas morreram na região por causa de uma tromba d’água, em 2020. Ele afirmou que desde então a prefeitura tem feito um trabalho de conscientização junto às empresas de turismo e donos de lanchas.

– Nós temos dentro do município uma legislação que proíbe a ancoragem dentro do cânion e as pessoas nadarem lá. Então eles já têm essa noção, essa dimensão da tromba d’água e essa fatalidade que aconteceu a gente acredita, e precisamos de parecer técnico, não tem relação com tromba d’água. Precisamos de um parecer técnico, de uma equipe técnica, para ter uma avaliação do local e a partir daí criarmos critérios de segurança já pensando em uma fatalidade como essa – disse o prefeito.

Lancha mais atingida se chama ‘Jesus’ Foto: Reprodução

Cristiano também indicou que as embarcações que estavam no Lago de Furnas no momento da tragédia cumpriam as normas de segurança.

– Temos a delegacia de Marinha em São José da Barra que faz essa fiscalização de se cumprir as Normas de Autoridade Marítima [Normam]. Pelo o que a gente tem, que é utilizado dentro do turismo, estava tudo dentro dos conformes – afirmou.

BUSCA POR DESAPARECIDOS
Uma equipe de 50 pessoas, incluindo mergulhadores do Corpo de Bombeiros, a Marinha do Brasil e a Polícia Civil, retomaram as buscas por desaparecidos no início da manhã deste domingo (9). Pouco antes das 10h, um corpo foi achado submerso, aumentando para 8 o número de vítimas fatais.

A equipe agora procura por duas pessoas que seguem desaparecidas.

Fonte: Pleno News