A Câmara Municipal de Santo André (SP), no ABC Paulista, aprovou um projeto de lei que proíbe a instalação de banheiros “mistos”, ou “multigênero”, na cidade. A votação, que aconteceu na quinta-feira (2), foi finalizada com 17 votos a favor da proibição e 3 votos contrários. O projeto segue para sanção ou veto do prefeito Paulo Serra (PSDB).

Como justificativa, o projeto indicou pontos como a “segurança” e “higiene”. No texto da medida, que foi encabeçado pelo vereador Carlos Ferreira (PSB), mas que também foi proposto por outros vereadores, os parlamentares afirmam que não podem permitir que “modismos ideológicos se sobreponham à segurança” das mulheres e crianças.

– Não quero que minha sobrinha, as filhas dos meus amigos, as crianças, possam entrar um banheiro onde tenha um homem lá usando. Banheiro é privacidade. Então aqui estamos pensando em proteger as crianças e as famílias. Porque pode ocorrer casos de estupro em banheiros unissex – disse o vereador Edilson Santos (PV).

BANHEIRO “MISTO” CAUSOU POLÊMICA EM BAURU
Uma unidade do McDonald’s, na cidade paulista de Bauru, teve que alterar as indicações gráficas nas portas dos toaletes após ser notificada pela prefeitura local, por supostas irregularidades, em razão do uso dos chamados banheiros “mistos”.

No local, havia nas portas, acima da inscrição “WC individual”, o desenho de três bonecos indicando a destinação para homens, mulheres ou pessoas que dizem não se identificar com esses gêneros. O Executivo municipal, porém, notificou o estabelecimento apontando “descumprimento de exigências do código sanitário da cidade”.

O caso ganhou repercussão depois que um vídeo com críticas contra a atitude do McDonald’s viralizou nas redes sociais. Na gravação, uma mulher dizia que a unidade da rede de lanches era “comunista” por implantar o banheiro “multigênero”. O assunto se tornou um dos mais comentados no Twitter na época.

Fonte: Pleno News