Após o PSDB adiar as prévias para escolher o candidato do partido à Presidência, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu dar um prazo de 10 dias para que a sigla explique a decisão de “congelar” o procedimento. A medida ocorre após uma ação apresentada por um advogado filiado ao partido.

A votação foi iniciada neste domingo (21), mas acabou sendo interrompida após problemas no aplicativo utilizada para votar. Os candidatos do PSDB são o governador de São Paulo, João Doria, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o ex-prefeito de Manaus (AM) Arthur Virgílio.

Diante da situação, Gustavo Futagami da Silva, advogado no Mato Grosso do Sul filiado ao PSDB, decidiu acionar o TSE. Em sua ação, ele queria que as prévias do partido fossem suspensas devido aos problemas. No entanto, o ministro Benedito Gonçalves pediu apenas que o PSDB explique sua decisão.

– Considerando a repercussão do tema e, ainda, as notas veiculadas no sítio eletrônico do PSDB desde a data de ontem (23/11/2021), noticiando a suspensão das prévias partidárias até que solucionadas as intercorrências tecnológicas quanto ao processo de votação, entendo prudente que o exame de pedido liminar ocorra após a legenda prestar as informações cabíveis – apontou.

Fonte: Pleno News