Um texto de Gustavo Alonso, colunista da Folha de S. Paulo, provocou revolta entre usuários das redes sociais neste sábado (6). A publicação sobre a carreira de Marília Mendonça, que morreu na sexta-feira (5), vítima de um acidente aéreo, aponta que a ‘Rainha da Sofrência’ ‘nunca foi uma excelente cantora’.

– A morte no auge aumenta a dor dos fãs. Diferentemente de Gabriel Diniz, morto em 2019, a carreira de Mendonça tinha bem mais que um grande sucesso. E, ao contrário de Cristiano Araújo, morto em trágico acidente automobilístico em 2015, a trajetória de Mendonça não estava mais em ascensão. Ela já havia atingido o topo. Mendonça era a rainha da música brasileira, a rainha da sofrência (…) Nunca foi uma excelente cantora. Seu visual também não era dos mais atraentes para o mercado da música sertaneja, então habituado com pouquíssimas mulheres de sucesso – diz o texto.

– Marília Mendonça era gordinha e brigava com a balança. Mais recentemente, durante a quarentena, vinha fazendo um regime radical que tinha surpreendido a muitos. Ela se tornava também bela para o mercado. Mas definitivamente não foi isso que o Brasil viu nela – aponta ainda a publicação.

No Twitter, o assunto ficou em destaque. Um usuário afirmou que iria cancelar a assinatura no jornal.

– Insensível, machista, gordofóbico e não entende m nenhuma ao dizer q Marília nunca foi uma excelente cantora. Q lixo de matéria é essa? – declarou uma pessoa.

– É UMA VERGONHA ESSA COLUNA! É isso que dá colocar esse bando de arrombado pra falar sobre uma artista mulher. Esse bando de colunista formado em rede social que se acham donos da palavra pq escutam meia dúzia de disco velho. Odeio vocês e odeio esse jornal – criticou outro.

Fonte: Pleno News