O empresário Luciano Hang usou as redes sociais para ironizar uma programação realizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre fake news.

O primeiro debate do II Seminário Internacional Desinformação e Eleições contou com a participação da jornalista da Folha de S.Paulo, Patrícia Campos Mello, com quem o empresário tem um histórico de acusações e de processo judicial.

Hang compartilhou a publicação do evento e não se furtou em apontar a ironia, chamando de “piada”.

– Piada? A @folha e a repórter @camposmello, convidada para falar de fake news. Foram condenados ano passado a pagar R$100 mil a mim, justamente por divulgarem mentiras. Mancham reputações, propagam notícias falsas e fazem seminários por aí. No Brasil, o poste mija no cachorro – disparou o dono das Lojas Havan, nesta quarta-feira (27).

Com mais de duas mil reações, a publicação recebeu apoio dos internautas.

– É como se o juiz chamasse o traficante para explicar como se combate o tráfico de drogas. Estão todos na mesma bolha – apontou um seguidor.

– No próximo seminário do STF para Defesa da Família, Suzane von Richthofen será convidada e defenderá o tema: Como estruturar uma família e ser feliz – disse outro.

Em dezembro de 2020, a Folha de S. Paulo e a repórter Patrícia Campos Mello foram condenadas a indenizar o empresário Luciano Hang em R$ 100 mil após uma decisão em primeira instância determinada pela Justiça de Santa Catarina.

Hang havia entrado com um processo contra a Folha pedindo indenização de R$ 2 milhões por ter sido citado na reportagem Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp, publicada em 18 de outubro de 2018.

Fonte: Pleno News