O presidente da CPI da Covid-19, senador Omar Aziz, já não esconde mais sua insatisfação com as decisões individuais do senador Renan Calheiros na elaboração do relatório final da comissão. Nesta terça-feira (26), Aziz considerou que Calheiros jogou o grupo majoritário do colegiado, o G7, “aos leões”.

– Tem divergência. Não tem acordo para votar o relatório. Tem fatos. Agora não dá é para criar fato para indiciar uma pessoa. Não existe fato para genocídio. Mas o relator insistiu e jogou a gente aos leões – reclamou Aziz ao colunista Igor Gadelha, do portal Metrópoles.

Ao citar genocídio, o senador fazia referência ao indiciamento do presidente Jair Bolsonaro pelo crime. O relator chegou a incluir a tipificação do crime na documento final, mas retirou após pressão de senadores do grupo.

No entendimento do G7, Renan teria colocado senadores independentes e da oposição em uma saia justa com seus eleitores, porque eles foram obrigados a explicar à população sobre a “suavização” das acusações contra Bolsonaro no parecer.

O G7 também diverge sobre o indiciamento de governadores no documento, como o de Wilson Lima, do Amazonas, estado que elegeu Aziz para o Senado.

Fonte: Pleno News