O Supremo Tribunal Federal (STF) já definiu quem irá relatar uma ação apresentada pelo PSOL e pelo PDT contra o presidente Jair Bolsonaro. O responsável pela notícia-crime será o ministro Luís Roberto Barroso.

A ação ocorre após a ‘polêmica’ a respeito de uma declaração sua sobre a vacina da Covid-19 e a Aids, doença transmitida pelo vírus HIV. Bolsonaro falou no assunto durante sua live na semana passada.

Na ação apresentada ao STF, os parlamentares do PSOL e do PDT apontaram que a declaração de Bolsonaro é um “desrespeito” com famílias que perderam parentes pela Covid-19. “O presidente da República mentir sobre a vacinação —utilizando um site conspiracionista e conhecido pelas fake news —além de um ato criminoso, é um absoluto desrespeito para com o país e com as famílias enlutadas”, ressaltaram.

Bolsonaro, no entanto, chegou a explicar sua fala durante entrevista à rádio Caçula FM, do Mato Grosso do Sul. Ele afirmou que apenas leu uma reportagem da revista Exame.

– Foi a própria Exame que falou da relação de HIV com vacina. Eu apenas falei sobre a matéria da Revista Exame. E 2 dias depois a Exame me acusa de ter feito fake news sobre HIV e vacina. A gente vive com isso o tempo todo. Se for pegar certos órgãos de impressa, são fábricas de fake news – destacou.

Fonte: Pleno News