Os planos do União Brasil de ser um “superpartido” podem não ser concretizados. Um levantamento feito pelo jornal O Globo mostra que mais de 40% dos deputados federais eleitos pelo PSL já admitem deixar a legenda que resultou da fusão entre o DEM e o PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com a pesquisa, dos 54 deputados em exercício eleitos pelo PSL, 23 confirmaram saída (42,6%), 16 disseram que vão permanecer (29,6%), seis ainda não decidiram (11,1%) e nove não responderam (16,6%). Os respectivos nomes dos parlamentares não chegou a ser detalhado.

Entre as razões mais citadas pelos parlamentares que vão deixar a legenda, estaria a declaração de Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, de que a União Brasil terá candidato próprio à Presidência, o que conflita com aqueles que apoiam a reeleição de Jair Bolsonaro.

– O novo partido e seus futuros dirigentes dão a entender que vão apoiar uma terceira via, e não faz sentido ficar em um partido que não vai apoiar o presidente – afirmou o deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO).

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) deverá seguir para o partido ao qual Bolsonaro finalmente se filiará.

– Qualquer partido que receber Bolsonaro, se não é grande, passará a ser tratado como – disse a deputada.

Ao jornal carioca, Luciano Bivar disse que “todos que permanecerem serão bem-vindos” e que espera repor as saídas.

Fonte: Pleno News