Nesta quarta-feira (22), o presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, usou as redes sociais para destacar que a entidade prestou homenagem aos três meninos desaparecidos em Belford Roxo (RJ) desde dezembro 2020.

Camargo criticou ainda o que chamou de “hipocrisia do movimento negro”, e disse que “vidas honestas importam”.

– A Fundação Cultural Palmares manifesta repúdio à hipocrisia do movimento negro e presta homenagem às três crianças cruelmente assassinadas por traficantes pretos como elas. Vidas Honestas Importam – declarou.

No último dia 9, o secretário da Polícia Civil do Rio de Janeiro Allan Turnowski revelou que os três meninos foram mortos por traficantes da favela Castelar, também na Baixada Fluminense. Lucas Matheus, Alexandre e Fernando Henrique estavam desaparecidos desde o dia 27 de dezembro. Até hoje, os corpos dos meninos não foram encontrados.

De acordo com Turnowski, a polícia já tem o nome dos três autores do crime, mas eles só serão revelados após a conclusão do inquérito. Eles teriam sido mortos como punição por tentar furtar passarinhos na localidade.

– Quem matou os meninos da Baixada foram os traficantes da favela Castelar. Desde o início, a gente tinha esse linha como mais forte, mas também a gente tinha outras linhas que, durante a investigação, foram sendo descartadas – explicou o secretário, em entrevista ao RJ2.

Segundo o Turnowski, os assassinos teriam pedido autorização da cúpula da facção para punir os meninos, mas não teriam dito que se tratavam de crianças. Eles tiveram autorização de um dos chefes do tráfico do Castelar para a execução.

Após a repercussão do caso e o avanço das investigações da polícia, o chefe da facção que teria autorizado o crime foi executado pelos próprios companheiros como queima de arquivo. Ele foi morto no Complexo da Penha.

A intenção, segundo o secretário de polícia, era evitar que o assassinato dos meninos atrapalhasse uma possível progressão de pena para chefes do tráfico que estavam presos e tinham relação com o homem que deu aval para o crime.

Post do o presidente da Fundação Cultural Palmares Foto: Reprodução/Instagram 

Fonte: Pleno News