Jordy detona ‘memorial’ criado para os 28 mortos no Jacarezinho

O deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) manifestou repúdio nas redes sociais após a criação de um “memorial” em homenagem aos suspeitos mortos na operação policial na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, em maio, que terminou com 28 pessoas mortas.

A homenagem aconteceu na entrada da comunidade, neste domingo (6), e teve a participação de familiares e amigos dos mortos, além de entidades de direitos humanos, líderes comunitários, ativistas e até representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Defensoria Pública e da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

É a total inversão de valores. Tratam vagabundos como vítimas. [Eram] Traficantes inescrupulosos que aliciavam menores e trocaram tiros com a polícia. É a cultura de idolatrar bandido que avançou por anos com a ajuda da esquerda e do politicamente correto – escreveu Jordy.

O deputado lembrou ainda que, com a eleição do presidente Jair Bolsonaro e a ascensão da direita conservadora ao poder, a “cultura de idolatrar bandido” vem sendo minada aos poucos.

– […] De uns anos pra cá, grande parte da população passou a enxergar a verdade, e nós vamos continuar enfrentando esse pensamento asqueroso que vinha envenenando a sociedade – afirmou.

Nos comentários, internautas reforçaram as críticas do parlamentar e questionaram sobre a falta de homenagens a pessoas inocentes que são diariamente vítimas da violência urbana imposta pela criminalidade.

Fonte: Pleno News