Grupo feminista defende Zanatta após ataque de deputada trans

Política Nacional

Na quarta-feira (5), durante uma sessão da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher na Câmara dos Deputados, a deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) fez comentários considerados misóginos contra a deputada Júlia Zanatta (PL-SC). Esses comentários provocaram a reação de um grupo feminista que saiu em defesa de Zanatta.

Hilton tentou ofender Zanatta falando sobre sua aparência, dizendo: “Você é ridícula. Você é feia. Ultrapassada. Vai hidratar esse cabelo. Vai se cuidar, pelo amor de Deus.” Enquanto algumas mulheres presentes comemoravam os ataques, Zanatta permaneceu em silêncio. No entanto, o deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) defendeu Zanatta, dizendo: “Pelo menos ela é ela.”

O coletivo Raízes Feministas Brasil criticou as mulheres que estavam na Comissão e riram de Zanatta. Segundo o grupo, essas mulheres eram “uma plateia de mulheres submissas a um macho misógino”.

Nos comentários, várias feministas falaram sobre o assunto, mesmo sabendo que Zanatta é antifeminista e está politicamente oposta a elas. Para muitas, o fato de Hilton ter sido socializado como homem a levou a desenvolver pensamentos misóginos, a ponto de usar a aparência de uma mulher para tentar diminuí-la.

Uma vertente do feminismo vê o transativismo como uma ameaça às mulheres biológicas, que são as que possuem inúmeras desvantagens em comparação aos homens. Uma feminista comentou: “Se Hilton estivesse de terno, era violência de gênero. Mas como está de saia, deixa de ser.”

Outra usuária cobrou o PSOL por permitir que uma pessoa biologicamente masculina ocupe a vaga de uma mulher na Câmara. Ela disse: “Típico de macho falar mal de mulher que não está conforme a cartilha de gênero capitalista… o que é mais chocante é ver ele ocupando uma vaga nossa e num partido dito ‘socialista’… @samiabomfim cadê você?”.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *