Brasil vota contra texto que pedia liberação de reféns em Gaza

Política Internacional

Em uma recente Assembleia Geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil se posicionou contra a alteração de um texto que pedia a inclusão de reféns mantidos pelo grupo terrorista Hamas na Faixa de Gaza em uma resolução que condenava as ações de Israel em território palestino.

O texto original condenava Israel por várias questões, incluindo atos de violência, o uso da fome de civis e a destruição de instalações médicas por parte das forças israelenses. No entanto, Israel solicitou uma alteração no projeto para incluir um pedido de libertação de cerca de 125 reféns israelenses que ainda estão sob o poder do Hamas.

A proposta de alteração do texto recebeu 50 votos favoráveis e 44 contra, sendo aprovada. No entanto, o grupo de países que haviam apresentado a resolução inicial optou por retirar o documento principal da votação após a aprovação da alteração.

O Brasil, juntamente com outros países, votou contra a alteração. Segundo informações do Metrópoles, o texto original foi apoiado por países como Rússia, Colômbia, Cuba, Venezuela, Irã, Nicarágua e China, além de países árabes. A autoria do texto é atribuída à Argélia.

Este episódio destaca a complexidade das relações internacionais e a delicadeza das questões envolvendo o conflito Israel-Palestina. A posição do Brasil nesta questão é um reflexo de sua política externa e de suas relações com os países envolvidos.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *