A esposa do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, a advogada Rosângela Moro, admitiu pela primeira vez que vai se candidatar a deputada federal por São Paulo pelo União Brasil, mesmo partido de seu marido. A informação foi divulgada pela colunista Bela Megale, do jornal O Globo.

Debutante na política, a advogada ressaltou que “São Paulo poderá conhecer uma Rosângela que vai muito além de ser a esposa de Sergio Moro.”

– Estarei em São Paulo para fazer a defesa das bandeiras anticorrupção. Mas não só isso. Quero trabalhar para representar e ser uma porta-voz das mulheres em suas causas e das pessoas com deficiência – afirmou Rosângela à coluna.

Em sua campanha, Rosângela pretende trabalhar para mostrar uma atuação independente do marido. Apesar de destacar o apoio que deu a Moro na pauta da Lava-Jato, a advogada diz que vai se concentrar em projetos voltados ao fortalecimento das mulheres na política. O partido está confiante na candidatura e acredita que ela possa ser eleita com pelo menos 500 mil votos.

TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO ELEITORAL PERMITIDA
A pré-candidatura por São Paulo vai de encontro com o veto de transferência do domicílio de seu esposo e ex-juiz, Sérgio Moro, que também pretendia disputar as eleições pelo estado. No dia 22 de junho, porém, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) rejeitou a transição do magistrado, que não poderá concorrer a nenhum cargo por São Paulo.

Para indeferir outras transferências, de acordo com o advogado Delmiro Campos, que já integrou como juiz o TRE de Pernambuco, seria necessário, por exemplo, que houvesse “prova robusta” de fraude na comprovação de algum tipo de vínculo. “Essa decisão de transferência eleitoral é administrativa, não tem sentido judicializar sem prova robusta de fraude. Tem que alegar fraude, se não já era – declarou, no dia 22 de junho.

Fonte: Pleno News