O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, elevou o tom contra ministro da Defesa, o general Paulo Sérgio Nogueira, em uma série de postagens no Twitter na madrugada desta quinta-feira (7). As falas de Nogueira sobre a colaboração da Forças Armadas nas eleições motivou as críticas do ex-membro da Corte.

Em comissão na Câmara dos Deputados, o ministro da Defesa disse que “As Forças Armadas estavam quietinhas em seu canto e foram convidadas pelo TSE”. Barbosa, por sua vez, rebateu dizendo que “as Forças Armadas devem permanecer quietinhas em seu canto, pois não há espaço para elas na direção do processo eleitoral brasileiro”.

Barbosa criticou a posição de apoio ao presidente Jair Bolsonaro pelo ministro da Defesa e falou em golpe.

– Insistir nessa agenda de pressão desabrida e cínica sobre a Justiça Eleitoral, em clara atitude de vassalagem em relação a Bolsonaro, que é candidato à reeleição, é sinalizar ao mundo que o Brasil caminha paulatinamente rumo a um golpe de Estado. Pense nisso, general – assinalou.

Continuando as críticas, Barbosa ressaltou a independência do TSE em relação aos “militares de casaca”.

– Um aspecto importantíssimo, que singulariza o Brasil no concerto das democracias, reside precisamente no seguinte: temos um ramo da Justiça, independente, concebido precisamente para subtrair o processo eleitoral ao controle dos políticos. E dos militares de casaca, claro – concluiu.

Fonte: Pleno News