O presidente Jair Bolsonaro celebrou, na manhã desta sexta-feira (11), a redução da quantidade de invasões de terra durante seu governo. Em conversa com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada, o líder atribuiu a diminuição ao corte de repasses financeiros ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

– Tirei dinheiro de ONG do MST. Não tem mais MST. O número de invasões é menos de dez por ano. Resolvido rapidamente – disse Bolsonaro.

O presidente ainda citou outras medidas que foram adotadas durante seu governo, como a liberação do porte de arma em toda a fazenda, e não apenas na sede, e disse que sempre defendeu “o povo bem armado”.

– Demos o porte de arma para o fazendeiro. Estamos criando mais de mil CACs [sigla pela qual são conhecidos os colecionadores, atiradores e caçadores] por dia – destacou.

O líder disse ainda que reduziu em mais de 80% as multas aplicadas no campo e que deu dignidade a quem era “escravizado” pelo MST ao conceder títulos de posse a assentados. Ao ouvir um apoiador reclamar da retirada de pessoas que moravam em uma área demarcada como terra indígena no passado, Bolsonaro afirmou que nenhuma terra foi demarcada em sua gestão.

— No meu governo, nenhuma terra indígena foi demarcada. Já temos 14% demarcados no Brasil – finalizou.

Fonte: Pleno News