Nesta quinta-feira (28), durante transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre o preço dos combustíveis no Brasil e disse não ser justo a pessoa viver “num país que paga tudo em Real” e ter o “preço do seu combustível atrelado ao dólar”. Ele disse que seu governo estuda uma maneira de alterar a política de preços da Petrobras.

A empresa mudou sua política de preços dos combustíveis em 2016, durante o governo do ex-presidente Michel Temer, e passou a realizar ajustes tendo por base os preços internacionais do petróleo, definidos em dólar.

Ao falar sobre a situação, Bolsonaro afirmou que a Petrobras é obrigada a aumentar os preços porque “tem que seguir a legislação”.

– Não sou eu que aumento. A Petrobras é obrigada a aumentar o preço porque ela tem que seguir a legislação. E estamos tentando buscar uma maneira aqui de mudar a lei. Porque não é justo, você vive num país que paga tudo em Real, é um país praticamente autossuficiente em petróleo e tem o preço do seu combustível atrelado ao dólar. Realmente ninguém entendo isso. É coisa que vem de anos e você tem que buscar uma maneira de mudar – ressaltou.

O presidente também afirmou que pediu ao ministro da Economia, Paulo Guedes, para colocar a empresa no “radar da privatização” e defendeu que a Petrobras tenha um viés social.

– Ninguém vai quebrar contrato. Ninguém vai inventar nada. Falei para o Paulo Guedes botar a Petrobras no radar de uma possível privatização, porque se é uma empresa que exerce monopólio, ela tem que ter seu viés social no bom sentido. Ninguém quer dinheiro da Petrobras para nada. Quer é que a Petrobras não seja deficitária e invista também em gás. Com mais atenção em gás e não apenas em outras áreas. A gente quer uma Petrobras voltada para isso – destacou.

Bolsonaro, no entanto, falou que é preciso mudar a legislação.

– Tem que ser uma empresa que dê um lucro não muito alto, como tem dado. Porque além de lucro alto para acionistas, a Petrobras está pagando dívidas bilionárias de assaltos que ocorrem há pouco tempo na empresa. Por exemplo aquelas três refinarias que não foram feitas. Deixaram dívidas de dezenas de bilhões de reais. E você está pagando a conta disso aí – apontou.

Fonte: Pleno News